Bosques do Lenheiro






HISTÓRIA
Onde antigamente existiam bosques e um lenheiro que abastecia com lenha e carvão as padarias da cidade, hoje há um bairro chamado Bosques do Lenheiro.
Situado ao norte da cidade de Piracicaba, o bairro Bosques do Lenheiro, está localizado as margens do Rio Corumbataí a 6 quilômetros do centro da cidade. O bairro que se configura como um núcleo habitacional fora criado pela Prefeitura Municipal de Piracicaba, Caixa Econômica Federal e a EMDHAP (Empresa Municipal de Desenvolvimento Habitacional de Piracicaba). Possuía como objetivo designar loteamentos para famílias de baixa renda, que moravam em áreas de risco, ou ainda integrantes do movimento sem teto de piracicaba, além de loteamentos para comércio.
As famílias que tinham o interesse em financiar essas casas, eram cadastradas pela EMDHAP e permaneciam em uma fila à espera do termino da construção dessas casas. Já as famílias que moravam em áreas de risco eram automaticamente cadastradas.
A construção dessas casas começou em 1997, terminou em 1999 e só em dezembro de 1999 os moradores tomaram posse das chaves de suas casas próprias.
O Bairro possui 1.412 terrenos, sendo disponibilizados 1.370 para a moradia e 42 para o comércio. A área dos lotes é de aproximadamente 150m² com 31.32m² de área construída. As casas foram entregues em modelo de alvenaria (chamada de “embriões”) e possuíam apenas sala, cozinha, banheiro e quarto, havendo espaço para ampliação.
As primeiras famílias a chegarem ao Bosques, por remoção, foram as que estavam assentadas em barracões na Usina Modelo que faziam parte do MTST – Movimento Trabalhadores dos Sem Teto - que outrora havia ocupado as casas do Núcleo Habitacional Mario Dedine, vizinho ao Bosques.
As famílias do MTST foram alocadas na Rua 25 e logo depois as demais ruas foram sendo ocupadas por outras famílias removidas de áreas de riscos e favelas.
Em 1999 ocorreu a primeira remoção das famílias de áreas de risco, instalações de partes da infra-estrutura e construção de mais casas. No ano seguinte as outras famílias cadastradas na EMDHAP.
Hoje, depois de muita luta por parte dos moradores, o bairro conta com uma melhor infra-estrutura e já tem escolas, creches, postos médicos e áreas de lazer. Porém após sua criação e diante da configuração socioeconômica das famílias que ali iriam residir, criou-se por parte dos cidadãos piracicabanos, um preconceito em relação ao local. A realização de um documentário sobre esse bairro permite romper esse estereótipo, ao transformar esse local de informação em lugar informado.

OBJETIVO
O documentário tem como objetivo contar a história do bairro Bosques do Lenheito, a partir de depoimentos dados pelos próprios moradores. Fazendo com que, dessa forma, a sociedade tenha um maior acervo e conhecimento sobre o local.
A escolha do tema para o documentário foi feita pelo grupo para que a sociedade tivesse maior acesso a um conteúdo pouco explorado pela mídia comum, procurando mostrar a verdadeira identidade do bairro e de seus moradores e romper o preconceito que os cidadãos desenvolveram em relação ao local.
Outro fator importante a ser mostrado é a “beleza” que é expressa na linguagem artística, como na dança e no artesanato.
Além disso, a atividade possibilitou ao grupo vivenciar na prática todas as etapas da produção de um documentário.


PLANTA DO FUTURO BAIRRO                      

VÍTIMAS DE PRECONCEITO




A ESTRUTURA

Segundo os moradores, o bairro conta com uma ótima estrutura. Existem várias áreas de lazer, quadras para esporte, escolas, creches, postos de saúde,... Porém, muitos deles estão abandonados. Não existem atividades diárias e talvez seja esse o grande motivo pelo qual, muitas crianças ficam nas ruas.

Essa é a casa da família da "Dona Diva", após a reforma. Segundo eles, a casa era bem mais simples quando se mudaram. "Nem asfalto nas ruas, não tínhamos", disseram.








MAKING OFF

Após a gravação, a "Dona Diva" quis conferir o resultado...

Antes de nos despedir, uma última foto da família não podia faltar....

Deixamos as câmeras de lado por um segundo, e também pedimos uma foto! Afinal de contas, não é todo dia que se conhece uma família tão simples, feliz e carismática. Muito menos, que se volta pra casa, com uma lição de vida.
Nos despedimos e fomos embora, esse era só o primeiro dia de gravação e de muita história boa que ainda ia rolar.....


Um comentário:

  1. Por favor, estou começando um trabalho no Bairro e gostaria de saber a fonte dessas informações.

    ResponderExcluir